Gestão de Mudanças Como Processo de Apoio ao Desenvolvimento e Testes de Software

Introdução

A Gestão de Mudanças é um processo de apoio ao desenvolvimento e testes de software, pois permite que seja acompanhado o ciclo de vida de uma solicitação de mudança, desde sua abertura até o fechamento.

Uma solicitação de mudança pode ser categorizada como, por exemplo, um defeito que precisa ser corrigido, melhorias a serem desenvolvidas ou uma mudança de escopo. Nesta última categoria, poderia ser cadastrada a lista de novos requisitos ou funcionalidades. Independente da categoria o mesmo pode ser aberto pelo cliente, principais stakeholders ou por qualquer membro da equipe do projeto.

O Gerenciamento de Mudanças oferece mecanismos onde todas as solicitações ficam registradas em uma base centralizada. Além disso, as atividades são frequentemente suportadas por ferramentas separadas, porém integradas com ferramentas de Gestão de Configuração, podemos citar aqui alguns exemplos de ferramentas de Gerenciamento de Mudanças tais como Bugzilla, Trac etc.

Principais Objetivos e Vantagens

Segundo CRNKOVIC et. al. o Gerenciamento de Mudanças possui dois objetivos principais:

O primeiro é de prover suporte para o processamento de mudanças, que inclui: Identificação da Mudança,  Análise,  Priorização, Planejamento para Execução, Decisões de Rejeição ou Adiamento.

 O segundo objetivo é de prover a rastreabilidade das mudanças que acontecem no sistema durante e, ou após o seu desenvolvimento.

Quando a organização possui um processo institucionalizado de Gerenciamento de Mudanças, é possível obter as seguintes vantagens:

– Gestão e controle de todos os artefatos do projeto;

– As solicitações do projeto ficam centralizadas em uma base, além de permitir o acompanhamento da sua evolução;

– Decisões de rejeição e/ou adiamento ficam registradas na ferramenta;

– Extração de métricas tais como: quantidade de solicitações abertas por categoria (defeito, melhoria e/ou mudança de escopo), tempo médio para fechamento de defeitos por criticidade e/ou severidade e quantidade de solicitações abertas por status.

– Dentre outros.

Considerações Finais

Na prática projetos sofrem alterações, isto é um fato inevitável e muitas vezes quando essas alterações não são registradas de forma adequada, elas acabam caindo no esquecimento.

A maioria das organizações segue processos e transição de estados (ciclo de vida de uma solicitação de mudança) distintos um ponto interessante é que a maioria das ferramentas possibilita a customização desses estados.

No próximo post será apresentado um exemplo de transição de estados.

Espero que tenha gostado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *