Tomada de Decisão Baseada na Prioridade e Severidade

Resumo

 

Com o crescimento da área de Tecnologia da Informação, várias empresas começaram a adotar ferramentas para gerenciar e acompanhar os defeitos. Isso é um fato positivo, porém a falta de processos bem definidos e ausência de treinamentos para manusear tais ferramentas fazem com que certos campos presentes sejam utilizados de forma inapropriada. Esses campos são conhecidos como Prioridade e Severidade. Quando utilizados de forma correta podem trazer inúmeros benefícios para a tomada de decisão gerencial.

 

Introdução

 

Este artigo tem como objetivo abordar a aplicação da Prioridade e Severidade, uma vez que existem diversas discussões realizadas com relação a sua utilização e importância.

 

A Prioridade e Severidade são utilizadas para decidir qual ocorrência será tratada, porém existem alguns cuidados que precisamos tomar. De um modo mais simples a prioridade pode ser entendida como a perspectiva de negócio e a severidade como sendo perspectiva técnica [3]. Os níveis determinados tanto para a Prioridade como para a Severidade são classificados como Alto, Médio e Baixo.

 

prioridade x severidade

O IEEE Std 610.12-1990 define a prioridade como sendo o nível de importância atribuído a um item, por sua vez, a severidade possui a mesma definição de criticidade que é o grau de impacto no requisito, erro no módulo, falha ou outro item que ocorre no desenvolvimento de software [4].

 

Problemas na Hora de Classificar a Prioridade e Severidade

 

Muitas organizações estão adotando ferramentas para gerenciar e acompanhar os defeitos e com isso um grande número de vendedores tem fornecido a essas organizações diversos tipos de soluções. Porém, a grande preocupação é saber se essas soluções estão sendo utilizadas de forma adequada, pois quando se trata de problemas ou defeitos a maioria das ferramentas utiliza os mesmos tipos de valores e as mesmas definições, desta forma torna-se necessário revisar os itens disponíveis e a forma com que são classificados. Dois itens em particular são a prioridade e a severidade [2].

 

Um dos grandes problemas que pode acontecer com uma determinada ocorrência é quando a prioridade e severidade são classificadas de forma errada. Por exemplo, a equipe técnica ao realizar a análise de uma ocorrência pode colocá-la como prioridade alta, porém o problema é técnico o qual o usuário não perceberia. A forma correta de classificar esta ocorrência é colocá-la como prioridade baixa, porém de severidade alta.

 

É necessário tomar muito cuidado quando se está classificando uma ocorrência, daí vem à necessidade de ter processos bem definidos e treinamentos específicos para que a equipe de desenvolvimento/testes entenda o quanto é importante classificar de forma correta a prioridade e severidade.

 

Vantagens Quanto ao Uso Correto da Prioridade e Severidade

 

A prioridade e severidade podem ser utilizadas como ponto de partida para tomada de decisão, pois com elas a gerência terá uma visão global da ordem em que os defeitos serão atendidos ou submetidos à correção. Além disso, eles formam excelentes indicadores que mostram ações a serem tomadas de curto, médio e longo prazo.

 

Outra vantagem seria em relação às ferramentas de gerenciamento e controle de defeitos que propicia a geração de vários tipos de indicadores uma vez que todas os defeitos estão armazenadas em uma base centralizada. Estes indicadores têm um papel fundamental para os gerentes, pois com estes é possível visualizar e realizar uma análise do andamento evolutivo dos defeitos, não sendo mais necessário realizá-las de forma empírica.

 

Considerações Finais

 

A utilização de ferramentas para gerenciar e acompanhar os defeitos é sem dúvida muito útil para uma organização que busca melhorar o gerenciamento e controle dos defeitos.

 

Adotar uma ferramenta é uma decisão muito importante e que exige esforço, pois como visto não basta apenas implantar uma solução de mercado é necessário que a organização defina os processos e organize treinamentos para que campos como prioridade e severidade não sejam classificados de forma errada pela equipe de desenvolvimento/testes.

 

Referências

 

[1]CRNKOVIC, Ivica; ASKLUND, Ulf; DAHLQVIST, Annita Persson. Implementing an Integraing Product Data Management and Software Configuration Management. Artech House, 2003.

[2]http://www.stickyminds.com/sitewide.asp?Function=edetail&ObjectType=ART&ObjectId=3224. Acessado em 01/06/2007.

[3]http://geekswithblogs.net/srkprasad/archive/2004/08/20/9961.aspx. Acessado em 01/06/2007.

[4]IEEE Std 610.12-1990 Standard Glossary of Software Engineering Terminology.

 

Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *